Perguntas Frequentes

Recebemos perguntas diariamente de nossos pacientes. Algumas são selecionadas e postadas aqui.Talvez uma destas perguntas possa ser útil e lhe ajudar. Caso não encontre resposta para o que deseja, clique no link Formulário, localizado no final da página e encaminhe-nos sua dúvida. 

 *** As respostas abaixo tem apenas o objetivo de uma orientação inicial, sendo importante em cada caso, a realização de uma consulta com o pediatra ou gastropediatra para o correto diagnóstico e instituição do tratamento apropriado *** 

REFLUXO GASTROESOFÁGICO:

 

 P : Meu filho tem 2 meses de idade, golfa muito, tem o sono agitado durante a noite. Pode ser refluxo? M.J.S, Brasília-DF
R : É muito comum  as crianças nesta idade apresentarem episódios de refluxo , pois pode se tratar de um refluxo fisiológico. As golfadas são episódios de refluxo que saem do estômago em direção ao meio externo. Quando ocorrem no período de sono , a criança  poderá  ficar agitada. 
P : Quais são os tipos de refluxo? 
L.S.S, Brasília-DF
R : Existem dois tipos de refluxo: O refluxo fisiológico que  vai do nascimento até mais ou menos 6 meses de idade ,com bom ganho de peso,bom crescimento e pequenas regurgitações. O refluxo patológico que se caracteriza por episódios de refluxos mais exuberantes, volumosos,irritabilidade da criança, sono muito incomodado e pode haver alterações no ganho de peso e crescimento.Geralmente se extende após os seis meses de idade.
P : Meu filho de 3 meses "golfa " após as mamadas, mas está ganhando peso regularmente. Uma amiga diz que é refluxo, e que precisa de tratamento. Minhã mãe já diz que criança saudável golfa mesmo. Em quem devo acreditar ?
A.C.S.R, Ceilândia-DF
R : O refluxo gastroesofágico nesta idade pode ser fisiológico,ou seja, próprio da idade. Porém é preciso que o pediatra avalie para ver se há a necessidade de lhe passar  orientações posturais ou medicamentosas.
P : Meu filho tem 8 meses e não ganha peso. A curva do peso está abaixo do normal. Ele não "golfa" após as mamadas, mas o pediatra dele disse que pode ser refluxo a causa do baixo peso. Quais exames que posso fazer para saber se meu filho tem refluxo ?
L.G.B, Lago Sul-DF
R : Realmente  o baixo ganho de peso pode ser decorrente do refluxo. Se não há visualização dos episódios de refluxo, através das regurgitações ou vômitos,na  faixa etária de seu filho, pode ser feito uma  avaliação de imagem, a Ecografia ou Ultra-sonografia  para pesquisa de Refluxo Gastroesofágico. Neste exame , pode-se contabilizar os epsiódios de refluxo e fazermos um estudo do esvaziamento gástrico. Se necessário , o seu bebê poderá ser direcionado para fazer a PHmetria prolongada de 24hs , que é o exame mais importante, para a completa avaliação do Refluxo Gastroesofágico.
P:
Nosso filho tem 7 anos de idade  trata para refluxo desde os 2 anos. Há um ano começou a apresentar tosse persistente. Já fez vários exames- Raio X do tórax e  RX dos seios da face que sempre são normais. No pronto socorro, na última vez que fomos, o médico pediatra disse que pode ser refluxo gastroesofágico. O refluxo gastroesofágico pode levar a tosse ? Isto tem cura ? R.T.R, Brasília-DF   R: Realmente o  pediatra do pronto socorro pode estar correto e seu filho precisa ser investigado melhor quanto ao Refluxo Gastroesofágico. Se ele apresentar episódios de refluxo  que possam ter a possibilidade de serem aspirados para dentro do pulmão, a chance de tosse secundária  à aspiração do refluxo se torna importante.Seria necessário proceder a alguns exames específicos nestes casos: a PHmetria de 24 hs  e a Cintilografia para Aspiração Pulmonar.
P : Quais são os  cuidados que devemos ter com o bebê com refluxo?
G.I.R, Brasília-DF  
R: Existem medidas posturais e dietéticas. A  depender da idade do seu filho, optamos por uma delas. Cuidado sempre com a possibilidades de engasgos, colocar a criança para arrotar sempre após as mamadas, evitar balançar a criança após a amamentação. Usar a medicação de uma maneira sistematizada, respeitando os horários das mesmas.

P : Minha filha de 9 anos golfa o tempo todo, ja fiz endoscopia seguida de uma  biopsia e não deu nada, ele sente dores no estomago e a barriga fica  inchada, cheia de gases,sente também enjôos e ânsia de vômitos. O que pode ser? S.T.D, Asa Sul-Brasilia-DF

R:Mãe, infelizmente a endoscopia mostra alguma alteração apenas se houver lesão, como gastrite, úlcera, esofagite, bactéria .O melhor exame neste caso seria a PHmetria para medir a taxa de acidez e ver a possibilidade de refluxo(golfadas) e outros exames  de laboratório para investigar outras causas como alergia alimentar,intolerancia alimentar, etc que possam justificar as regurgitações e a distensão abdominal(barriga inchada).

P: Minha filha agora esta com 1 ano e 9 meses. Ela ao nascer veio  para casa com refuxo. Tratou com motilium e ranitidina por uns dois  meses. Acontece que ha 1 mês e 2 semanas ela esta com uma tosse que é mais acentuada na madrugada e é uma tosse perssistente, constante, chegando ao  ponto de provocar vômito. É possivel que seja o refluxo ?  M.S.,Brasília-DF

R: Obrigada pelo contato. Como sua filha já teve o histórico de Refluxo anteriormente, seria interessante reavaliá-lo, pois tosse noturna pode ser indicação de retorno do mesmo. Existem vários exames específicos que podem auxiliar-lhe e de fácil realização como a Ecografia e/ou PHmetria. 

P: Meu filho tem 1 ano e dois meses e ainda tem refluxo, já fui ao gastropediatra e ele me disse para ficar tranqüila pois meu filho está com peso e  altura ideal, mas toda vez que mama, passando uns 30 minutos, ele solta  principalmente leite, o que fazer? R.V.

R: Mãe, obrigada pelo contato.A princípio, pela sua descrição, seu filho parece ter um refluxo fisiológico, apesar da faixa etária, pois tem um bom crescimento e desenvolvimento. Porém, é muito importante avaliar com exames  para se certificar que se trata de um refluxo próprio da faixa etária. Existem exames de imagem e a PHmetria prolongada de 24 hs, que quantifica o refluxo e fornece as características  do mesmo, tais como, taxa de acidez, número de episódios totais, dentre outras avaliações. Seria interessante também avaliar a alimentação, pois existem alimentos que pioram e/ou prolongam um refluxo pré-existente.

 


P:O meu filho tem 1 ano e 2 meses não dorme direito. Acorda sempre chorando, gritando. Percebo que quando come frutas mais ácidas o seu sono fica mais agitado. Pode ser refluxo oculto? Obrigada!

 

R: Bom dia e obrigada pelo contato. A agitação do sono realmente pode ser derivada de refluxo, porém para melhor definição seria interessante avaliação com gastropediatra. Existem exames especializados para avaliação da possivel causa de agitação
do sono, dentro da gastropediatria.


P: Meu filho tem 2 meses e estou com algumas dificuldades. Este é meu primeiro filho. Ele está mamando somente no peito, mas está regorgitando demais. Mesmo que arrote, ainda assim regorgita, até mesmo uma ou duas horas após a mamada. E a quantidade varia de um pouco de leite até aparentemente toda a mamada. Ele está ganhando peso normalmente, em média 35g dia. Ele mama bastante e quando regorgita muito, logo depois quer peito. Ele está apresentando também muita cólica, choro intenso e coriza no nariz. Não tem febre, nem tosse. Como posso ajudá-lo?

R: Obrigada pelo contato. Pela sua descrição, com bom ganho de peso, me parece que as regurgitações são fisiológicas , próprias da criança. As cólicas também fazem parte da rotina do bebê, pela maior fermentação nesta faixa etária. Porém é indispensável a avaliação médica para poder definir melhor o diagnóstico. Estamos à sua disposição.


 

P: Meu filho tem 9 anos é asmático,tem refluxo e intolerância a lactose. Sempre teve muitos vômitos, náuseas e dor abdominal. Gostaria de saber se os sintomas gástricos  podem piorar a asma dele, porque notei que sempre após as crises gástricas (que normalmente duram 01 semana), ele tem crise de asma. Pode haver alguma relação? A.P.

R: A crise de Asma e Doenças gástricas, em especial a Doença do Refluxo Gastroesofágico, guardam intima relação. A Asma pode ser agravada quando há microaspiração pulmonar secundária ao Refluxo. Seria muito importante a interconsulta com o Gastropediatra para realização de exames específicos, que incluam avaliação de possível  refluxo e /ou alergia alimentar. Procure um gastropediatra mais próximo para realizar a investigação.


P: Doutora, boa tarde. Meu filho de 1 mês e meio possui refluxo fisiológico e toma os remédios label e motilium. Gostaria de saber se é permitido usar cadeirinha de balanço com vibração da  fisher price já que ele  possui refluxo e quando está acordado fica muito agitado.

R: Obrigada pelo contato. Deixamos o uso da cadeirinha apenas para períodos curtos, justamente por conta do Refluxo. Se assim for, acredito que não haja problemas. Att, equipe médica do Centro de Gastropediatria.


 P: Boa tarde Doutora. Tenho um bebê de 7 meses e até hoje ele não dorme a noite. Ele resmunga, revira o tempo todo no berço, o bico cai da boca inúmeras vezes, ele chora dormindo. Levei ele na Gastropediatra e ela me disse que deveríamos tirar o leite (tudo que contem leite), ele agora toma leite de soja, porem teve uma melhora de apenas uma semana e agora voltou a não dormir bem. Será que pode ser o refluxo ? Já levei em vários médicos e ninguém nunca resolveu meu caso.  K.D.S.

R: Boa tarde e obrigada pelo contato. Mãe, nem sempre a retirada do leite e derivados esclarece a causa principal do incômodo. A presença do refluxo é uma boa indicação para uma investigação. Converse novamente com a sua gastropediatra, demonstre à ela sua preocupação e com certeza vocês chegarão a um denominador comum. Existe um exame específico para se quantificar o refluxo e a sua taxa de acidez: A PHmetria esofágica. É um exame específico,altamente esclarecedor. Att,Equipe médica do Centro de Gastropediatria.

 

P: Tenho um neto de 1 ano e 7 meses. Ele teve refluxo sem vômitos, apenas com azia. Com 1 ano paramos de dar os remédios para o refluxo mas agora ele começou a vomitar novamente, não com muita freqüência. Ás vezes fica até uma semana sem vomitar. O que eu estranho é que ele vomita umas duas horas depois de comer, geralmente quando vai comer a próxima refeição. Será que pode ser do refluxo ainda? Acho que minha filha dá as refeições muito próximas uma da outra, não tem tempo de fazer digestão. L.C.

 

R: Boa tarde vozinha e obrigada pelo seu contato. Seria muito importante avaliar a possibilidade de refluxo com o pediatra ou com o gastropediatra. Se o refluxo ainda estiver presente, a proximidade das refeições poderá alterar seu curso. A permanência do refluxo precisa ser identificada, pois o tratamento deverá ser instituído para evitar possíveis complicações do mesmo como uma esofagite, por exemplo. É difícil emitirmos uma opinião sem vermos e examinarmos pessoalmente a criança, portanto, aconselhamos a senhora a procurar o colega pediatra o mais rápido possível. Att, Equipe médica do Centro de Gastropediatria.


P:Refluxo pode vir acompanhado de febre? Minha filha de 1 ano e 6 meses não ganha peso, dorme muito mal principalente à noite e fica coçando a garganta como se estivesse irritada. Ela sempre tem febre e logo aparecem as aftas, muitas aftas! Ela fica segurando a comida na boca e cospe como se estivesse sempre enjoada, sem falar das cólicas e gases.

 

R: Obrigada pelo contato. Não há na literatura médica vínculo direto entre refluxo e febre, a não ser que o refluxo venha a desencadear sinusite, pneumonia, otite ou estomatite (aftas), onde poderá haver um quadro febril associado. As aftas podem conter vírus ou bactérias. Seria importante a senhora procurar um gastropediatra para uma avaliação detalhada.

  

 P: Minha filha tem 4 anos e desde os 2 anos faz tratamento para o refluxo. Atualmente ela estava melhorando, mas teve crise de garganta recentemente e foi dado antibiótico. Voltamos então a dar o Motilium® e Label®. Ela já fez uma cintilografia e apresentou refluxo. Ela sofre muito quando tem alguma infecção que precisa tormar antibiótico. Nos dias normais ela não tem vômitos, mas com quando está doente as vezes vomita. A médica pediu uma PHmetria, estou receosa em fazer pelo desconforto e por ela ser totalmente ansiosa e nervosa com exames médicos. Ela nasceu de 8 meses e tem até hoje peso e altura inferior ao desenvolvimento normal. Peso 13 Kg e altura 95 cm. Não ganha peso com facilidade e quando ganha perde nas doenças. Tem algum outro meio para detectar e tratar corretamente o refluxo sem este incomodo da PHmetria? Obrigada, D.M

R: Bom dia e obrigada pelo contato. A PHmetria é o melhor exame para o diagnóstico e correto tratamento do refluxo gastroesofágico, pois detecta a taxa de acidez, o numero de episódios de refluxo, o horário em que os refluxos incomodam mais, e se os mesmos tem correlação com as infecções das vias aéreas.Realizamos este exame diariamente e as crianças ficam muito bem durante a realização do mesmo.A princípio parece incomodativo, mas é um exame muito bem aceito. Na nossa experiência diária,observamos que as crianças se comportam muito bem durante a monitorização de 24 horas e chegam no outro dia para retirar o aparelho calmas e sem nenhuma agitação, com  a descrição das mães (algumas surpresas) de que a criança se portou muito bem, sendo o exame mais fácil do que imaginavam. Além disto, a quantidade de informações que o exame fornece supera qualquer expectativa e ansiedade por parte dos pais.   

P: Boa tarde. Minha filha nasceu prematura, com exatos oito meses e agora está com um mês e meio. Há umas duas semanas ela começou a ter muitos episódios de refluxo tanto após as mamadas quanto depois de horas. Algumas vezes as golfadas foram eliminadas pelo nariz e ela apresenta chiado, ronco e um barulho parecido com o de nariz entupido.   Agora ela está sempre incomodada, irritada e chorando. Diminuiu bastante o tempo de mamada, fica no peito menos de 10 minutos e já começa a espernear e chorar forte; a cada deglutição larga o peito pra chorar e jogar a cabeça pra trás. Com isso tenho que dar de mamar a cada 1h e 30 min e o sono não dura mais de uma hora. Ela está há uma semana tomando ranitidina®, mas não tenho visto resultado. Este quadro caracteriza a doença do refluxo? O que faço?

R:Boa tarde e obrigada pelo contato. Pela sua descrição, este quadro respiratório de chiado e ronco poderá sim ter uma forte e importante correlação com o Refluxo Gastroesofágico. Nesta idade e até os seis meses, em sua maioria, caso haja um bom ganho de peso e sintomas leves, o refluxo é considerado fisiológico, próprio da faixa etária. Porém, como ela tem apresentado chiado e ronco, deve ser investigada a possibilidade de aspiração pulmonar. Em alguns casos, o refluxo gastroesofágico pode ser aspirado para as vias respiratórias, mesmo em pequena quantidade, levando ao quadro respiratório descrito. O exame de escolha para o diagnóstico da correlação entre refluxo gastroesofágico e aspiração pulmonar é a PHmetria de 24hs com dois canais. Na impossibilidade de realizar este  exame, podemos realizar a cintilografia com pesquisa de aspiração pulmonar. Seria importante consultar um gastropediatra na sua região para melhor avaliação e verificar a possibilidade de uso de outras medicações que não apenas a Ranitidina®, alem de uma boa revisão na sua dieta, já que o bebê está em aleitamento materno.

 


P: Bom dia. Meu filho tem 2 anos e 4 meses. Descobri no inicio do ano que ele estava com refluxo. Procurei um gastro e ele passou um remédio feito por manipulação. Já fazem 4 meses que estou dando o remédio e a tosse persiste, e em 2 meses teve a garganta inflamada duas vezes, tendo que tomar antibiótico. O refluxo não altera sua alimentação, seu sono, nem seu crescimento, mas altera a parte respiratória e me deixa desesperada, porque qualquer esforço que ele faça já começa a tosse. Podem me orientar, por favor? Obrigada.

R: Bom dia e obrigada pelo contato. O refluxo gastroesofágico pode causar, em alguns pacientes, microaspiração pulmonar, que está intimamente relacionada com a tosse persistente e as infecções de repetição das vias aéreas como as amigdalites, as otites, as sinusites e até mesmo pneumonia. Neste caso descrito pela senhora é importante realizar o exame de PHmetria prolongada de 24hs,que é realizado pelo médico gastropediatra onde o paciente fica monitorado por 24hs e onde são avaliadas vários quesitos, como o número  total de episódios de refluxo,a taxa de acidez, os refluxos que são microaspirados, a motilidade do corpo esofagiano, entre outros.Desta forma, o médico e a família, vão ter a certeza de que realmente é o refluxo o causador destes sintomas de repetição e assim, reavaliar as medicações utilizadas, instituindo o correto tratamento. Caso não seja o Refluxo o causador principal destes sintomas, a investigação deverá seguir no sentido de detectar quadros alérgicos ambientais, respiratórios e alimentares ou até mesmo problemas pulmonares em si. 

P: Boa noite! Tenho uma bebê de quase quatro meses e desde um mês e meio que ela não mama direito, chora demais para mamar, ela regurgita mas poucos volumes, tosse de vez em quando. Levei no pediatra e ele acha que são cólicas e receitou Fágico® e Endorus® três vezes ao dia, mas não está adiantando, ela continua chorando e não mamando, mama muito pouco, será que pode ser refluxo?

 

R: Olá e obrigada pelo contato. Durante as mamadas o bebê pode ter alguns sintomas que são muito pertinentes para a faixa etária: as cólicas, o refluxo oculto e a ansiedade para se completar rapidamente a mamada. Estes fatores influem bastante na qualidade da amamentação e podem ser decorrentes de alguns fatores: desde a alimentação da mãe (principalmente a reação a algumas proteínas da dieta da mãe) como pelo sistema ainda imaturo do tubo digestivo, em especial do esôfago, que permite o refluxo gastroesofágico durante a mamada. Seria importante primeiro, confirmarmos a presença do refluxo gastroesofágico através de um exame apropriado (ecografia com Doppler ou Phmetria). Na confirmação do refluxo, o tratamento correto é realizado : Dieta materna e anti-ácido para o bebê. No Centro de Gastropediatria fazemos ainda nestes casos, avaliação para alergia alimentar com a pesquisa de sangue oculto nas fezes.

 

 

 


INTOLERÂNCIA E ALERGIA ALIMENTAR: 

 

P :  O pediatra disse que meu filho tem alergia a lactose. Retirei da dieta o leite e passei a dar leite de soja para ele mas não houve melhora. Ele continua com o instestino solto e não  ganha peso. O que pode estar acontecendo ? J.A, Sobradinho-DF

R :Em primeiro lugar temos que diferenciar intolerância à lactose de Alergia à proteína do leite de vaca. Não existe alergia à lactose. Mesmo utilizando leite de soja, mas se a criança estiver comendo algum produto a base de Leite de vaca, o problema pode persistir. A diarréia é comum tanto à intolerância  à lactose quanto à alergia ao leite de vaca. Assim é necessário diferenciá-las para estabelecer o tratamento correto.


P
Meu filho tem 2 anos de idade e o Pediatra pediu o exame de laboratório para a pesquisa da Intolerância à lactose. Me informei a respeito deste exame e vi que ele é feito coletando várias amostras de sangue. Sei da importância deste exame, mas não gostaria de ver me filho sofrer tanto !!  Ele é realmente importante? Existe alguma maneira de fazermos outro exame para sabermos se ele  tem intolerância à lactose?
F.S, Sobradinho-DF

R: Olha mãe, quando há a suspeita de intolerância à lactose realmente é importante descartar esta possibilidade. O exame de laboratório é coletado pelo sangue após a criança tomar a lactose  com coleta  de sangue a cada 15 minutos até completar uma hora. Existe também o exame da avaliação da intolerância á lactose pela avaliação do H2 expirado, onde se coleta o ar expirado pela criança a cada 30 minutos após ingerir a lactose. É o exame mais preciso para avaliar intolerância. Não é realizado em Laboratório comum. É realizado por médico especialista. O Centro de Gastropedatria disponibiliza este exame.

P :
 Meu filho de 1 ano e meio tem  alergia ao leite de vaca. Está no momento tomando leite de soja, mas não observo que ele esteja ganhando peso. Há outros leites que eu possa dar a ele para melhorar o ganho de peso ? K.D, Brasília-DF

 

R: O baixo ganho de peso decorre de uma série de fatores, que podem incluir a Alergia Alimentar, que precisa ser avaliada laboratorialmente,para ver se ela realmente é detectada, para um correto tratamento. Caso seja este o problema, temos uma variedade de opções de leites especiais de fácil digestibilidade, e de excelente absorção. Como cada caso deve ser avaliado personalizadamente, é necessário avaliar com o pediatra ou gastropediatra a melhor opção.  

P : Qual a opção mais barata para o tratamento da alergia ao leite de vaca? Uma amiga me informou que posso usar leite de cabra. É uma boa opção?
P.N.M, Brasília-DF

 

R:Olha mãe,o leite de cabra não é a melhor opção, pois ele é deficiente em vários nutrientes. Existem leites especiais a base de soja que podem ser ofertados ao seu filho. O pediatra pode orientar da melhor maneira possível.  

 


P : Meu filho mudou o leite de gado para o de soja depois de detectado a  alergia ao leite e não apresenta melhora do sistema gastrointestinal, continuando com intestino solto. O que devo Fazer? Agradeço a atenção. L.B.

R: Mãe, obrigada pelo contato. Alergia à proteína do leite de vaca é um problema comum em gastropediatria e precisa ser corretamente diagnosticada através de exames laboratoriais para ser corretamente tratada. É necessário também excluir a possibilidade de intolerância à lactose, pois apesar de ter sintomas semelhantes, apresentam tratamento diferentes. Como você não detalhou os sintomas, precisaríamos confirmar o diagnóstico correto através de exames.


P: Olá Doutora, boa tarde ! Estou enviando esse e-mail para tirar umas dúvidas a respeito do meu  filho, fizemos todos exames rotineiros, e ele sempre reclama de uma dor na  barriga, fica com gases, meio pálido e náo esta querendo se  alimentar direito, emagreceu um pouco. Na minha cidade náo tem gastropediatra, será que poderiam me orientar  sobre esse fato ? Obrigada! M.D.A.


R: Obrigada pelo contato. A Dor abdominal recorrente é uma queixa comum entre as crianças. Se associado com baixo ganho de peso e recusa alimentar, tem que ser melhor investigada. Existem algumas doenças que devem ser avaliadas, como a intolerância à lactose, alergia alimentar, doença do refluxo gastroesofágico, etc. Se a senhora mora em cidade que não tem gastropediatra, precisaria de ver o local mais próximo que tenha a disponibilidade deste profissional para o correto diagnóstico e tratamento de seu filho.


P:  Meu fiho tem 1 ano e 11 meses e há 2 meses a otorrino dele pediu um exame  de lactose e segundo ela, confirmou-se a intolerância. Ele faz tratamento com otorrino há um ano, pois sempre teve dores forte de ouvido, em fevereiro teve até começo de convulsão por febre alta por por conta do ouvido. Agora só toma de leite de soja, tem dois meses, só que o pediatra dele não confirmou  o resultado de intolerância á lactose mas pediu pra eu continuar no leite de soja, e agora o que eu faço?  Tem ou não tem intolerância à lactose? Continuo ou não no leite de soja? Fico mais na duvida porque meu filho não teve diarréia e nem outra doença relacionada aos sintomas do leite de vaca, apenas muitas vezes dor de ouvido, muita infecção. Obrigada por me ajudar. F.M, Maringá-Paraná.

R: Seria relamente muito importante a senhora também avaliar com a gastropediatra  para verificar se os exames que foram realizados, foram de Intolerância à Lactose ou Alergia à Proteina do Leite de Vaca. Apesar de parecerem ser para a mesma finalidade, não o são. São doenças diferentes em que a base do problema seria o leite de vaca. A Infeccção de ouvido está mais relacionada à proteína do leite mas também pode estar relacionada ao refluxo Gastroesofágico.

 


 P: Meu filho tem 1 ano e 11 meses e é alérgico a múltiplos alimentos. Fizemos “rast” de leite, soja, trigo, esses deram alto. “Rast” de arroz e milho foram baixos. Hoje ele já pode ingerir esses dois últimos mas carne vermelha também dá reação. Não come bem, vira a cara, cospe, às vezes solta um arroto e põe
a comida pra fora, estou muito cansada, e ele mama no peito (faço dieta de exclusão de leite e de soja). Será que algum alimento que ele come ou que eu como está fazendo mal e por isso a falta de apetite? Obrigada!

R:Obrigada pelo contato.Geralmente a Alergia Alimentar vem acompanhada de apetite seletivo,hiperacidez gástrica, recusas alimentares, sendo um processo inflamatório localizado. Enquanto persistirem os sintomas, ou seja, se o
problema ainda não foi normalizado, a criança não tem muita vontade de comer e conseqüentemente o peso não evolui bem. Desta forma, é muito importante  acompanhar com uma equipe multidisciplinar como o alergista infantil e o
gastropediatra, para que sejam tomadas as medidas diagnósticas e tratamento correto.

 


 


DIARRÉIA PERSISTENTE:

 

P : Meu filho está com o intestino solto, e as fezes líquidas há duas semanas. Levei no pronto socorro e disseram que seria uma virose e que logo o quadro de diarréia passaria. Isto já tem duas semanas e ele não melhorou, continua com a diarréia. Devo procurar um especialista para uma melhor investigação ? A.H, Brasília-DF
R : Seria muito importante avaliar este quadro clínico com o pediatra ou gastropediatra, pois é necessário ver se há a necessidade de solicitar exames para avaliar melhor esta diarréia. As diarréias persistentes podem ter várias causas. Seria bom investigá-la para não evoluir para uma síndrome de má absorção.

P: Minha filha tem 3m e meio, e ja esta se alimentando com papinhas de frutas nos intervalos da amamentação, mas tem 2 dias que percebi que ela está defecando  umas 6 vezes ao dia, côcô  molinho mas também sai durinho .Isto é  normal, ou preciso procurar o pediatra ? Me oriente por favor estou preocupada. A.L.B, Taguatinga,Brasília-DF

R:Muitas crianças ao entrar em contato pela primeira vez com determinadas frutas, podem ter fermentação aumentada das mesmas, devido ao açúcar da própria fruta, a frutose.Não deve se preocupar. É normal que isso aconteça.

 

P: Meu filho tem 12 anos e frequentemente sente dor na barriga e diarréia nuito forte. O que fazer se já levei na emergência e a médica disse que é virose? Mas virose 2 ou 3 vezes no mês ? V.C.

R: Realmente é meio complicado considerar “viroses” sucessivas para explicar o quadro de seu filho. Seria interessante avaliar outras causas de diarréia de repetição como as  alergias  e intolerâncias alimentares que também cursam com diarréia de repetição. Se precisar, estamos a disposição. Att, equipe médica do Centro de Gastropediatria


CONSTIPAÇÃO INTESTINAL (INTESTINO PRESO):

 

P: Meu filho,de 8 anos, passa até 5 dias sem evacuar e quando evacua é com muita dificuldade e com as fezes em "bolinhas". Já tentamos mudar a alimentação dando mais fibras , mas não melhorou.  O que devo fazer? H.C.L, Goiânia-GO

R: Mãe, a Constipação Intestinal, é muito comum nesta faixa etária e precisa ser bem esclarecida se se trata de uma simples alteração do hábito da evacuação, por baixa ingesta de fibras, que nesta faixa etária é bem comum pelo apetite seletivo que as crianças apresentam, como pode ser decorrente de alergias alimentares,intolerâncias alimentares, ou outros problemas .É necessário uma completa investigação.


P: Temos um bebê de 5 meses e desde o nascimento ele apresenta dificuldades para defecar. As fezes saem durinhas e ele fica até 4 dias sem fazer cocô. Penso que possa ser o meu leite que está levando ao problema. É possível ? Existe alguma doença que a criança já nasce com algum problema para evacuar ?
B.S.C, Brasília-DF

R: Mãe, se o seu filho estiver tomando leite materno exclusivo ele poderá ficar dias sem evacuar por alguns dias sem maiores problemas. Porém se ele não estiver com leite materno exclusivo, precisa ser avaliado. Existem algumas doenças que podem ter esta característica de iniciar nos primeiros meses de vida.São doenças do intestino como por exemplo a Aganglionose ou Doença de Hirshirsprung. É importante uma avaliação precisa do profissional de saúde para detectar qual é o tipo de problema.


P:
Meu filho tem três anos mas desde que ele mudou da fralda para o vaso sanitário segura as fezes. Tem dia que ele até pede e tudo corre super bem, mas a maioria dos dias ele segura, sujando a cueca e sempre dizendo não sentir vontade de ir ao banheiro. Na creche acaba fazendo na roupa, e as crianças falam, dão risada, enfim, aquilo que sempre acontece entre as pessoas sejam pequenas ou adultas. Mas o fato dele segurar faz com que ele fique sempre agitado, correndo de um lado para o outro e não obedecendo as tias da creche porque ele está o tempo todo segurando as fezes. Será que devo levá-lo a um psicólogo? E.R.S-Brasília-DF

R:Obrigada pelo contato.Trata-se de uma Constipação Intestinal que pode ser voluntária ou não.Necessariamente precisa ser avaliado pelo pediatra ou gastropediatra para descartar causas orgânicas. O psicólogo deve ser diagnóstico de exclusão posteriormente.

P: Meu filho de 2 anos e meio vem passando pela constipaçao intestinal, já  levei a vários medicos e ninguém resolve. Já mudei a alimentaçao, dei aveia , laxantes também e nada resolveu. Nos últimos dias ele reclama toda hora de dor na barriga e também sente dificuldades de soltar os gases. Seria o  caso de fazer exames pra detectar o que realmente acontece com ele?
 

R:Mãe, a constipação intestinal deverá ter a sua causa corretamente diagnosticada, para podermos resolver o problema definitivamente. Existem exames laboratoriais e de imagem que podem ser realizados de uma maneira efetiva para concluirmos a investigação. O tratamento , desde que seje realizado a investigação da causa do problema é muito eficaz.


P: Minha filha tem 7 anos e meio, ela não gosta de evacuar. Este dilema já dura uns três anos, foi feito de tudo, vários exames, remédios, muitas fibras, até mesmo psicóloga ,mas nada resolve. A única coisa que melhorou foi que a psicóloga ajudou nos escândalos na hora de ir ao banheiro, isto não  ocorre mais, ela pede para ir ao banheiro e vai muito tranqüila, faz sem  nenhum problema mas,  para fazer de novo o côcô,  demora até mesmo 15  dias, histórias musicas, prêmios, não resolveu, estou apavorada pois ela não gosta de viajar e tem vontade de dormir na casa de amigas, mas por causa  do côcô ,não consegue ir; tenho que ir buscá-la fora de hora para  acalmá-la e o interessante é que chegando em casa depois destes constrangimento todo vai e faz. Me ajude por favor para que eu possa ajudá-la. K.V.L- São Paulo-SP.

R: Mãe, obrigada pelo contato. Pelo que você descreve, sua filha tem constipação intestinal, que precisaria ser melhor avaliada pelo pediatra ou gastropediatra, para determinar a causa do problema. Existem exames de laboratório e de imagem que podem detectar o que está causando a constipação intestinal, para que você possa tratar sua filha adequadamente. Antes de avaliar com o psicólogo, temos que descobrir se existe uma causa orgânica. Existem várias situações que podem determinar a constipação nesta idade, tais como: Erro alimentar, baixa ingesta de fibras, alergia e/ou intolerância alimentar e alteração da motilidade digestiva. Descobrindo então a causa, você poderá tratar a sua filha, com segurança. O tratamento também inclui o uso de medicação. Porém, se houver a presença da retenção fecal espontânea, deverá também ser avaliada pelo fisioterapeuta que trabalha especificamente com este tipo de problema.


Meu filho tem 4 anos e desde 1 ano apresenta problema de ressecamento crônico, se alimenta bem mas não consegue defecar, quando completa de 15 a 20 dias sem evacuar, entramos em pânico, aplicamos supositório ou damos uma lavagem comprada em farmácia,que funcionava. Há três meses estamos levando-o a hospitais , mas marcam consultas para três meses à frente, já não faz mais efeito os meios que utilizamos ( supositórios,lavagens, óleos minerais até óleo de riceno.). Hoje ele está há 18 dias sem defecar, se alimentando normalmente, tomando todos esses remédios. Por favor poderia me ajudar ?  G.M,Salvador.

Bom dia e obrigada pelo contato. Seria muito importante o Sr procurar um gastropediatra para esclarecimento
diagnóstico. Existem várias causas especificas para Constipação intestinal, desde as intolerâncias e alergias alimentares , alteração anatômicas e distúrbios funcionais. Existem exames a serem realizados, tanto laboratoriais como de imagem. Além de tratamento específico. Caso o Sr se interesse, teremos disponibilidade de lhe atender.
Att, Equipe médica do Centro de Gastropediatria

P:Tenho uma netinha de 55 dias que está com dificuldades para fazer cocô, estou trocando o leite, e a pediatra já indicou o estimulo com cotonete o que não deu resultado.Gostaria de uma orientação menos traumática.

  R:Bom dia e obrigada pelo contato. Se sua netinha estiver em aleitamento materno exclusivo,este quadro clínico poderá ser fisiológico, podendo ela ficar até 10 dias sem evacuar, o que não é considerado um problema. Porém, se não estiver em aleitamento materno exclusivo, deveríamos avaliar a possibilidade de alterações da motilidade intestinal, alergias alimentares e alterações anatômicas. Daí a importância de se consultar com um gastropediatra para uma avaliação pormenorizada.  

 


P: Meu sobrinho com 3 meses não  defeca sem  supositório de glicerina. Ele está agora com quatro meses e continua assim , mas não gosto de ficar usando o supositório. Quando ele estava com  dois meses  comecei a dar mingau de cremogema com leite NAN e suspendi o mingau pra ver se era o mingau mas continuou a mesma coisa. Então comecei a dar o mingau de novo. O que poderá ser? 

R: Bom dia e obrigada pelo contato. É muito importante que a senhora procure um gastropediatra para avaliar as causas de Constipação Intestinal que vão desde alergia e intolerâncias alimentares à  alterações anatômicas do intestino grosso, entre outras possibilidades. Realizando os exames para o correto diagnóstico da causa e iniciando um tratamento direcionado, com certeza o problema se resolverá.  

SANGRAMENTO INSTESTINAL:

 

P: Meu  bebê de 7 meses começou a fazer fezes com  rajas de sangue em pequena quantidade em quase todas as fraldas há 2 semanas. Fiquei assustada, pois a quantidade de sangue não diminuiu até o momento. O que devo fazer ? Será que é algo passageiro ?
L.T.B, Cuiabá-MT

R: O sangramento digestivo pode ser decorrente de uma série de problemas, onde podemos incluir a Alergia Alimentar como uma fator importante a ser investigado. O sangramento também pode ser secundário á lesões da parede anal, no caso das diarréias, como a fissura anal. Precisa ser avaliado pelo pediatra ou gastropediatra para serem tomadas as medidas necessárias para a completa avaliação.


P: Meu filho vai fazer 2 meses e há uns 10 dias vem eliminando um pouco de sangue misturado nas fezes. Desde então não estou ingerindo leite e seus derivados, porém o quadro não se alterou. Existe a possibilidade de ser colite alérgica se ele apenas apresenta este sintoma e mais nenhum outro como diarréia, irritação ou cólica intensa?

 

R: Bom dia e obrigada pelo contato.Quando há sangramento nas fezes, sempre há a possibilidade de colite alérgica, não só ao leite , mas à outros alimentos também, como ovos e carne vermelha.

Mas antes de tudo é fundamental consultar com gastropediatra para avaliar detalhadamente o caso. Ele deverá pedir os exames específicos, como por exemplo, a pesquisa de sangue oculto nas fezes e um perfil bioquímico e biofísico das mesmas (exame coprológico). A partir daí, retiramos da dieta da mãe as protreínas mais prováveis de desencadear o sangramento, tais como a proteína da carne, leite e ovo, como acima salientado.Pela idade de seu bêbê, não há como pedir um teste alérgico alimentar, pois há uma imaturidade do sistema imunológico, o que daria um falso resultado do exame.


P: Doutora, meu filho teve dois episódios de sangue vivo nas fezes, fez todos exames de laboratório que deram normais, inclusive de sangue oculto. Ele não sente nada, mas esta perdendo peso rápido demais mesmo comendo bem. O Médico quer fazer colonoscopia e pediu também ultrassom do abdomem e pelve.

É possível com esse quadro meu filho ter doença muito grave? Ele tem 12 anos.

Um abraço e obrigada. R.G.

R: Srª Rosangela,
Obrigada pelo contato. A solicitação da Colonoscopia cabe muito bem na conduta proposta por seu Médico. Com este exame, haverá a possibilidade de descartar como causa do sangramento os pólipos juvenis, as doenças intestinais inflamatórias , os hemangiomas, entre outras possibilidades. Para cada uma destas doenças existe um tratamento específico e é importante descobrirmos a causa exata para o correto tratamento.



BAIXO PESO:

 

P: Meu filho tem 1 ano e 5 meses. Desde os 8 meses toma motilium para tratar  o refluxo;  há 4 meses não vomita mas ganha pouco peso, atualmente tem  apenas 9,5kg. A pediatra não passou exames, mas acha que ele tem intolerância à lactose e receitou uma dieta sem lactose. No entanto, desconfio que ele não tem esse problema, pois não tem flatulências  constantes e nunca teve diarréia. O que faço?  A.C.A.B, Piauí.

R: Olá mãe. O baixo ganho de peso pode advir de alguns fatores: Doença do refluxo gastroesofágico, intolerância à lactose, alergia alimentar, síndrome de má absorção, entre outras. No seu caso, seria interessante investigar, com exames, a intolerância à lactose, já que sua pediatra suspeita. Existem exames de sangue como existe também o teste do H2 expirado para averiguar esta doença. O Teste do H2 expirado é considerado na literatura médica, o melhor exame para avaliar a intolerância à lactose e não precisa coletar sangue. Mesmo seu filho não apresentando os sintomas típicos de intolerância seria importante realizar a investigação, pois a doença pode existir  sem os sintomas típicos, como diarréia, flatulência, etc. O Centro de Gastropediatria realiza este exame, caso não consiga realizá-lo em sua região.


P: Olá Doutora, bom dia . Tenho uma filha de 5 anos, mas infelizmente ela não ganha peso e está abaixo da curva de peso e de altura. Ela não come de tudo e não tem bom apetite. Nas investigações do  pediatra, foi sugerido uma síndrome de má absorção. O que é isto ? Como podemos fazer para termos certeza e fazermos o tratamento adequado ?
S.B, Lago Norte-DF

R: Mãe, é necessário caracterizar corretamente os tipos de exames realizados pelo pediatra para vermos a necessidade de maiores investigações.A Síndrome de Má Absorção caracteriza-se pela não absorção de alimentos em específico...é necessário caracterizar qual o tipo de problema (Alergia alimentar? Intolerância alimentar?Intolerância ao Glúten?outros?) para a sua filha ser tratada adequadamente.

P: Olá  Dra ,meu filho é alergico à corantes, lactose e gluten e não ganha peso .O que devo fazer? Estou desesperada. A pediatra falou para eu procurar um gastropediatra. Agradeço a atenção, E.P

R: Mãe, o baixo ganho de peso merece ser bem  investigado e precisa do acompanhamento de profissional especializado com o gastropediatra. Realmente é necessário realizar todos os exames para uma melhor averiguação, pois a intolerância à lactose é bem diferente de alergia à proteína do Leite de vaca. Não são sinônimos e o tratamento também é diferente. Ficamos à sua disposição.

P: Minha bebê tem três meses e faz um mês que começou a vomitar e regurgitar bastante. Ela mama somente leite materno e acaba de mamar e vomita, 10  minutos depois vomita novamente, passa 1 h ora volta mais leite, algumas vezes ela vomita ainda mamando e muitas vezes está na hora da próxima mamada e ainda tem leite voltando mas em pouca quantidade. Ela esta com 3 meses e pesando 4500kg nasceu  com 2700 gramas. Estou desesperada pois ela esta com baixo ganho de peso. Me  ajude, o que ela tem?

R: Bom dia e obrigada pelo contato. Pelo que a senhora descreve se trata provavelmente de episódios de refluxo gastroesofágico. A princípio, como há baixo ganho de peso, seria interessante avaliação com o gastropediatra para se proceder averiguação especializada e realização de exames, para que seja descartado também  a possibilidade de outras doenças concomitantes ou detecção da doença do refluxo, com tratamento subseqüente.


P: Meu filho tem 3 anos e já teve refluxo, todas as vezes que ele come qualquer coisa, segundos depois evacua, às vezes 6 vezes ao dia. Será que isso tem alguma coisa a ver com a falta de ganho de peso ? Por favor preciso de resposta urgente. Obrigada. D,V.

  

R: Pela sua descrição, me parece que seu filho tem um reflexo evacuatório Exacerbado,que pode ser próprio dele como pode ser derivado de intolerâncias ou alergias alimentares. Como há baixo ganho de peso, seria interessante a senhora investigar com um gastropediatra disponível em sua região. Estamos à sua disposição.

 

P: Olá, tenho uma filha de 1 ano e a mesma teve infecção intestinal séria que levou a perda de peso. Hoje ela pesa 7 kg e 800 gramas. A pediatra dela deu o caso como desnutrição grau 3 e me encaminhou para o gastropediatra. Em que ele pode me ajudar ? Estou desesperada, mudei toda a rotina da alimentação dela e nada de ganhar peso.

R: Bom dia e obrigada pelo contato. O gastropediatra pode lhe ajudar e muito, neste caso. Geralmente após um
quadro de infecção intestinal, a criança pode vir a desenvolver uma síndrome de má absorção. Desta forma , se assim for detectado, ele poderá te orientar quais os melhores tratamentos, dietas, restrições alimentares ou não, para sanar este problema, e termos em seguido o desejado ganho de peso.


 


ALIMENTAÇÃO INFANTIL:

>> Entrevista concedida ao site www.bolsademulher.com que poderá ser acessada diretamente pelo link bebe.bolsademulher.com   :


1) Por que algumas crianças têm tanto problema e falta de vontade de comer?

Muitas crianças passam por um apetite seletivo, natural para cada faixa etária.A faixa crítica se situa entre 1a e 4 anos de idade. Não significa necessariamente doença subjascente.Algumas crianças tbém apresentam paladares muito peculiares,muito específicos...muitas preferem o sabor adocicado,ao sabor salgado.Portanto, a seletividade do cardápio vai depender muito da caracteristica individual de cada criança e de como a família se porta perante esta experiencia.


2) Quando os pequenos recusarem a comida, é preciso insistir ou aceitar?

É necessário respeitar a individualidade da criança, mas não podemos deixá-la comandar o ritmo alimentar. Devemos sempre insistir, pois na maioria das vezes, a criança rejeita pelo simples fato de não querer experimentar o novo sabor e a nova textura da comida. Insistir, mostrando o beneficio que a alimentação oferecerá à criança, e principalmente, insistir sem brigas, sem ameaças. A alimentação deve ser prazeirosa e não uma fonte de "stress" domiciliar. A mãe ou a cuidadora da criança deverá com carinho, porém com firmeza ,ensinar  criança a aceitar a alimentação. Nunca trocar a alimentação po r uma recompensa,pois o hábito alimentar preconiza , lá no futuro a relação da criança frente aos problemas naturais da vida.


3) Se aceitar, é para substituir por algo que a criança queira, ou esperar que ela queira o que a mãe ofereceu antes e ela recusou?

Como dito acima, não substituir a alimentação por nada que signifique "troca".Sempre tentar respeitar o paladar da criança, mas isto não significa que deva dar apenas o que a criança quer.Ofercer quantas vezes for preciso o que a criança não aceita, seje num modo diferente de coziemnto, seja acompanhado de alimentos que a criança goste.


4) Ainda supondo que a mãe aceitou a recusa da criança, faz algum mal deixar sem comer até que sinta fome e queira comer?

Não há mal algum nisso.Esperar a decisão da criança comer é algo importante, porém não faz mal a criança esperar a fome aparecer. Temos o hábito, de que para a criança que não come, sempre oferecermos pequena quantidade de comida, principalmente o que a criança gosta, de pouco em pouco, nos intervalos das refeições principais.Desta forma, a taxa glicêmica sempre estará alta e a fome não chega. A criança tem enormes reservas de glicogêneo, portanto não terá hipoglicemia facilmente, se ficar algumas horas sem se alimentar.


5) Quantas horas a criança pode passar sem comer? Quais os riscos de passar desse limite?

As crianças podem ficar geralmente até 4-5 horas sem se alimentar sem prejuizos para sua saúde. Os riscos são hipoglicemia e fraqueza geral em certos casos


6) Se os pais insistem muito e fazem o que popularmente é conhecido como 'terrorismo', obrigando a comer, é possível que a criança desenvolva algum tipo de trauma e que isso prejudique a alimentação para o resto da vida?

Crianças criadas sob este regime "terrorista" , crescem crianças inseguras e o trauma futuro é sempre a compulsão alimentar .Porém o trauma maior é em relação ao cuidador que oferece a comida pois a criança já sabe que ali será um horário, que haverá uma queda de braço entre o "querer que coma " e o "querer  não comer por que não quero agora".Deve- se sempre estabelecer a regra do bom convívio entre filhos e pais, principalmente na hora da alimen tação, pois este horário deve ser uma horário harmônico para a familia.


7) Quando a criança não quer comer porque diz que 'não gosta' de alguma coisa. É preciso acreditar e aceitar isso ou elas ainda não sabem discernir o que gostam ou não? 

Muitas vezes as crianças não comem porque não gostam de experimentar o novo.É preciso que a mãe o envolva com carinho e firmeza para passar a segurança que o alimento tem um sabor gostoso.As crianças não conseguem discernir sem experimentar.Na maioria das vezes o problema é apenas este.


8) Para evitar momentos de tensão na hora da refeição, existe alguma dica para as mamães?

A dica é: eduque seu filho com carinho,com segurança e com firmeza de ação, não só durante  a alimentação, mas em tudo, durante a formação do carater de seu filho.As crianças tendem a defender o seu ponto de vista ,pelo enfoque da comodidade delas.Nunca ofereça algo em troca para elas,para receber seu afeto.Criança segura provém de pais seguros.Familias podem ser harmônicas,porém a disciplina, deve ser o fator preponderante na criação de um filho.As crianças precisam perceber que seus pais querem o melhor para elas, e o  exemplo  dos pais em conduzir suas vidas é o "norte " para um desenvolvimento feliz dos pequenos.Isso vale para tudo, inclusive para a alimentação.

OUTROS:

 

P: Meu filho vem perdendo peso e com diarréia líquida há 8 meses. O pediatra solicitou uma série de exames e descobrimos que ele tem doença Celíaca. Esta doença é grave ? Tem cura ? A dieta sem glútem é para o resto da vida dele? M.L.F, Anápolis-GO

R: A Doença Celíaca é a intolerância permanente ao glúten. Deve ser seguida de perto pelo profissional da área para um melhor controle do crescimento e desenvolvimento. A dieta deve ser totalmente isenta de glúten. A qualidade de vida destas crianças melhoram muito. Se possível, deve também ser seguida pela ACELBRA, que é uma associação dos pacientes celíacos, que existe em todos os estado do país.


P: Minha filha tem 9 anos e apresenta muitas aftas na boca. Elas vem e somem sozinhas, desde que ela tinha 7 anos, mas agora estão mais persistentes. Pode ser problema de estômago ?
N.M.A, Taguatinga-DF

R: As aftas bucais podem ser secundárias à problemas odontológicos, problemas gástricos como a hiperacidez e também secundários à infecções virais. É necessário investigar para uma melhor definição do tratamento.


P: Fui operada de cáculo biliar, minha mãe e avó também. Minha filha tem uma dor na barriga do mesmo tipo que eu tinha quando tive cálculo.Ela tem apenas 12 anos. Pode ser cálculo na vesicula ? Isto pode ser hereditário ?
S.T, São Sebastião-DF

R: Algumas doenças do Aparelho Digestivo podem ter características familiares,as doenças  da vesícula biliar é uma delas.Se realmente , se confirmar, precisa ser avaliado tanto pelo gastropediatra quanto pelo cirurgião pediátrico para ser definido uma linha de tratamento.


P:Olá Dra, meu filho tem 2 meses e  há mais ou menos um mês percebi que nos cantos do olho dele está amarelo. Levei ao pediatra e ela pediu o exame da bilirrubina. O resultado foi: Total 9.20 mg,  direta 0.45 mg e indireta 8.85 mg. Gostaria de saber o seu parecer. Devo procurar um especialista? O que fazer? - E.C.D

R:Mãe,bom dia e obrigada pelo contato. Realmente  a icterícia de seu filho, está um pouco prolongada para a faixa etária dele. Porém o aumento é às custas de bilirrubina indireta,pelo que a senhora descreveu. A principio, mantenha o controle com seu pediatra , e se não houver melhora nos controles de exame de sangue, que seria nova bilirrubina total e frações , sugiro que a senhora  procure um Hematologista para melhor avaliação. O problema maior seria se houvesse aumento da bilirrubina direta , pois acusaria problemas de maior gravidade dentro do fígado e das vias biliares. Neste caso, teria que ser avaliado por gastropediatra.


P: Minha filha tem 05 anos e periodicamente reclama de dores na barriga coloca a mãozinha ao redor do umbigo e diz que “dói muito”. Essa dor as vezes vem associada com ânsias de vômitos e diarréia. Fiz vários exames, nem verminoses deu no resultado, mas a pediatra receitou os remédios para verminoses, já tomou, mas mesmo assim quase toda semana tem episódios de dores, desconfiei do leite pois as vezes ela toma e tem episódios de dores e outras vezes não; já retirei da  alimentação dela vários itens, com os quais já passou mal ,como por ecemplo ovos, melancia...o que será que pode ser?  Ela come muito bem, tenho dó pois  acabo negando as coisas que ela gosta pois fico com medo dela passar mal. 

R:Bom dia e obrigada pelo contato. A Dor abdominal recorrente pode estar associada à vários tipos de doenças, tais como Refluxo Gastroesofágico, Alergia Alimentar, Intolerância Alimentar, Má digestão, entre outras.Como o tempo de queixa me parece prolongado, seria interesante a senhora procurar um gastropediatra que  deve proceder à  uma avalição especializada, para detectar o problema.Uma vez, descobrindo a causa, e tratando, o problema tende a desaparecer e sua filha terá novamente uma vida normal.


P: Doutora,meu filho de 14 anos tem dor abdominal recorrente, peri umbilical, desde  os 6 anos. Eram crises muito espaçadas, mas agora estão mais frequentes, aproximadamente a cada 3 meses. Sente uma dor muito forte e às vezes náuseas. Os remédios utilizados não costumam fazer efeito -Atroveran,  Tylenol, Buscopan, Plasil. Tem hábitos alimentares inadequados e  constipação intestinal. Fez recentemente ecografia e radiografia abdominal, exames de sangue e urina com resultados normais. Poderia me dar alguma orientação? Obrigada.

R : Obrigada pelo contato. A Sra precisaria realmente avaliar com o gastropediatra para descartar algumas hipóteses diagnósticas importantes para avaliação de Dor Abdominal recorrente. Na faixa etária de seu filho há que se considerar várias possibilidades tais como as intolerancias e alergias alimentares, constipação intestinal, hiperacidez gastrica, alteraçoes do tubo digestivo transitórias, dentre outras. Em Medicina , é importante avaliar o paciente pessoalmente e solicitar exames de investigação específicos. Estando na região de Brasília , estamos a sua disposição. Se não estiver, me passe a sua localização , pois  poderemos tentar indicar  algum colega mais próximo.

 

P: O glúten faz mal para a esofagite? E.W.

R :Bom dia e obrigada pelo contato. A Esofagite é uma doença secundária à taxa de acidez  gástrica elevada, que desencadeia Refluxo Gastroesofágico. A Doença do Glúten ou também conhecida como Doença Celíaca, é uma alergia  permanente ao glúten, proteína presente no trigo e derivados. São doenças diferentes, que agem por mecanismos diferentes. Porém quando presentes no mesmo paciente podem estar correlacionadas.


P: Boa noite, sou professora e trabalho com crianças de 10 meses a 1 ano de  idade .Tenho uma criança que esta dormindo muito, ela chega na escola e  dorme, após o soninho continua dormindo e acorda só quando a chamamos. E tudo que ela come provoca vômito ( frutas, leite, sopa essa ) Esta semana teve um dia que ela tomou só água durante o dia inteiro e ficamos  sabendo que ela come muito miojo, eu queria saber o que ela poder ter e  qual as consequencias caso ela continuar assim. Temos como ajudá-la aqui na escola? B.S.

R: O erro alimentar pode levar a várias alterações , tais como Refluxo Gastroesofágico, Baixo ganho de peso,Intolerâncias ou Alergias alimentares. Seria interessante a escola encaminhar os pais para uma avaliação com profissional adequado, como o Gastropediatra.  Att, Equipe médica do Centro de Gastropediatria.

P: Tenho uma filha de 5 meses e meio, ela tem bastante flatulências e mexe bastante a noite , não dorme bem nem mesmo de dia. Iniciamos há pouco tempo as papinhas.  Será que isto é normal ? R.C.

R: Nesta faixa etária de 5meses, realmente há bastante fermentação por conta da introdução da alimentação. É muito comum que a criança tenha aumento da flatulência neste período. Porém se houver um aumento exagerado, limitando a criança, é interesssante  avaliar com o Gastropediatra.


P: Olá. Tenho uma neném de dois meses e três dias e os exames dela deram todos alterados. O exame de Gama Glutamil Transterase deu 114,0 u/l, o de fosfatase alcalina deu 746,0, e de bilirrubinas deu direta 7,54mg/dl, a indireta deu 0,16mg/dl, e bilirrubina total 7,70mg/dl e observação: soro icterícia. A TGO dela deu 292,0 uds/ml e a TGP dela deu 164,0 uds/ml. Por favor me ajude, sei que são resultados ruins, estou morrendo de preocupação, a pediatra já encaminhou ela para o grastropediatra, mas aqui no meu estado não tem, por isso estou indo para Cuiabá. Me diga qual o seu diagnóstico.

R: Bom dia. Neste caso há a necessidade de que a senhora procure realmente com urgência um gastropediatra mais próximo, pois o índice aumentado de bilirrubina direta nos recém-nascidos sugere um processo obstrutivo das vias biliares, dificultando a drenagem da bilirrubina do fígado pra o intestino (duodeno). A atresia congênita das vias biliares é uma hipótese diagnóstica a ser considerada neste caso e requer urgência em seu tratamento. O gastropediatra deverá solicitar alguns exames complementares, entre eles um exame de ultrassonografia para afastar causas obstrutivas das vias biliares (cistos do colédoco entre outras) e na ausência de uma causa obstrutiva evidente, deverá ser feito uma  biópsia hepática (biópsia do fígado), para que se confirme o diagnóstico de atresia.

 



Formulário para Perguntas. Clique aqui e faça sua pergunta!